quinta-feira , dezembro 14 2017
Foto do local da obra

Dória promete Hospital Municipal de Parelheiros para dezembro

Destaques da edição de junho  – Matéria de Capa –

Texto e Foto: Por Flaviane Fernandes

Caso essa promessa seja cumprida, ele deve desafogar o Grajaú, Pedreira, M’ Boi Mirim, Campo Limpo, Pronto Socorro Maria Antonieta e a Santa Casa de Santo Amaro

Quando a obra iniciou, quem estava no poder era Fernando Haddad (PT), ele a prometeu  para o ano passado, mas não aconteceu. Embora seja preciso ressaltar que a construção estava quase pronta; faltavam poucos detalhes, cerca de 20%. Depois da troca de prefeitos, a população de Parelheiros continuou esperando pelo equipamento que deve ser entregue no próximo semestre.

Localizado na rua Euzébio Coghi, a poucos metros do Terminal Urbano de ônibus; ele é dividido em seis blocos e foi planejado para ser um hospital-escola onde médicos residentes farão atendimento nele.

A reportagem do Expresso Zona Sul procurou ouvir todos os lados envolvidos no processo. Segundo William Prado, coordenador do Conselho gestor da supervisão técnica de saúde de Parelheiros, após a posse do atual prefeito as obras pararam, e há informações de que a Prefeitura alega dificuldades financeiras. Ele explica que o Hospital atenderá moradores de locais como Embu Guaçu, Capela do Socorro e Grajaú, uma vez que hospitais que atendem a população dessas regiões estão superlotados e sucateados.

Já a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo informou que a obra está em estágio avançado e a previsão é que a unidade inicie suas atividades no segundo semestre deste ano.
“Quanto a retomada da obra, estamos aguardando porque efetivamente não recebemos nenhuma notícia a esse respeito,”, explica Cláudio Aparecido F. Leal, coordenador do movimento popular de saúde de Parelheiros e Marsilac e conselheiro gestor da supervisão técnica de saúde Parelheiros. Ele também comentou sobre a importância do equipamento para toda a Zona Sul, uma vez que há a intenção de que ele atenda casos de grande complexidade. “Estamos ansiosos para fazer a visita e verificar o andamento”, conclui.

O Expresso ouviu vizinhos à obra que disseram que o fluxo de trabalhadores no local é pequeno, cerca de 50.
A atual pasta afirma que a administração da unidade será realizada por meio de contrato de gestão com uma organização social, mas não disse qual seria.

O Hospital Municipal de Parelheiros contará com 255 leitos e com atendimentos na área de pediatria, cirurgia geral, ortopedista, ginecologista, radiologia, neonatologia, além de pronto-socorro, maternidade, centro de apoio de diagnóstico e 10 salas cirúrgicas.

Sobre expressozonasul

Verificar também

Jogo de empurra-empurra impede que Casa da Mulher Brasileira de São Paulo seja inaugurada

Por/ Flaviane Fernandes De acordo com queixas dos principais Movimentos de Mulheres de São Paulo, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *